RS ATINGE META DE VACINAÇÃO CONTRA PÓLIO E SARAMPO

Foto: Divulgação

Mais de 95% das crianças gaúchas maiores de um ano e menores de cinco tomaram as vacinas que protegem contra a poliomielite e o sarampo durante a campanha de vacinação deste ano, ocorrida entre 6 de agosto e 14 de setembro.

O estado registrou os índices de 95, 53% de cobertura vacinal da pólio e 95,59% do sarampo. Para as cidades que ainda não atingiram a meta, a recomendação do Ministério da Saúde e da Secretaria Estadual da Saúde (SES) é que sigam com a campanha, aplicando as duas vacinas como uma dose extra ao calendário vacinal de rotina e continuem atualizando o Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (Sipni). As vacinas estão disponíveis durante o ano inteiro para todas as faixas etárias.

Dados parciais da campanha

Ao todo, 387 municípios gaúchos alcançaram percentual igual ou superior à meta, 42 municípios estão com cobertura entre 90% e 95% e 68 estão abaixo de 90%. Das 19 Coordenadorias Regionais da Saúde (CRSs), apenas três ainda não atingiram a meta: a 1ª e a 2ª, que abrangem Porto Alegre e Grande Porto Alegre, e a 3ª, de Pelotas.

A 1ª e 3ª CRSs, porém, estão com dados próximos de alcançar a cobertura recomendada. A maior preocupação é a capital: Porto Alegre está com um dos menores índices do Rio Grande do Sul, com apenas 76,48%, e registra 22 casos confirmados de sarampo.

Os dados do resultado da campanha ainda podem sofrer alterações, pois dependem da digitação por parte dos municípios no Sipni.

Confira aqui o relatório dos dados vacinais por municípios.

Sarampo

O sarampo não era registrado no país desde 2015. Contudo, neste ano, voltaram a ser registrados diversos casos, inclusive, tendo causado oito mortes no Norte do país. No RS são 29 casos confirmados, dos quais 22 foram em Porto Alegre.

Os demais ocorreram em São Luiz Gonzaga (1 caso), Vacaria (1), Viamão (3) e Alvorada (2). Os surtos no país estão sendo relacionados à importação, já que o genótipo do vírus que está predominando na circulação é o mesmo que foi identificado na Venezuela, país que enfrenta um surto da doença desde 2017.

Informações dos casos confirmados de sarampo no RS:

69% sexo masculino;

82,5% faixa-etária de 15-29 anos;

69% sem registro de vacina ou não vacinado.

Pólio

Também chamada de poliomielite, está erradicada do Brasil desde 1994, com o último caso registrado no estado em 1983. Neste modelo da campanha, a vacinação é indiscriminada, ou seja, indicada para todas as crianças dessa faixa etária, independente se estão com as doses de rotina em dia ou não e desde que não tenham sido vacinadas nos últimos 30 dias.

Vacinas

As vacinas utilizadas para a campanha são a oral da poliomielite (VOP) e a tríplice viral, que protege contra o sarampo, rubéola e caxumba.

A da pólio está disponível durante o ano todo nas unidades básicas de saúde (UBSs) e é indicada para crianças menores de 1 ano de idade em 3 doses: a primeira aos 2 meses, seguidas de outras duas, aos 4 e 6 meses, todas elas injetáveis. A proteção é completada com dois reforços da vacina oral, aos 15 meses e aos 4 anos.

Em relação ao sarampo, a proteção ocorre por meio da vacina tríplice viral, indicada no calendário básico quando a criança completa 1 ano. Aos 15 meses, ela é complementada com a vacina tetraviral, que protege contra as mesmas três da tríplice viral acrescida da varicela (ou catapora).

Tire dúvidas no site do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (https://cevs.rs.gov.br/vacinacao-polio-e-sarampo).

Fonte: Ascom SES